terça-feira, 29 de abril de 2008

ELEMENTOS DA NATUREZA


TEMA: ERUPÇÃO DO VULCÃO


JUSTIFICATIVA: Pensando no meio ambiente, surgiu a importância de trabalhar a natureza conhecendo assim os quatro elementos da natureza: ar, água, terra e fogo. Sabendo que são importantes para sobrevivência humana onde um elemento contempla o outro elemento, buscando compreender os elementos da natureza iremos de forma lúdica apresentar como o vulcão entra em erupção, quais os elementos utilizados pela natureza.


OBJETIVO GERAL:
- Possibilitar o conhecimento e a construção de um vulcão partindo dos elementos da natureza.


OBJETIVOS ESPECIFÍCOS:
- Possibilitar o conhecimento dos quatros elementos da natureza e sua função e qual importância para os seres vivos.
- Mostrar o surgimento dos quatros elementos a partir de histórias lúdicas.
- Possibilitar o conhecimento da história do vulcão e o que ele pode causar ao meio ambiente.

Os Quatro Elementos da Natureza


Os quatro elementos da natureza distribuem-se de forma diversa pelos vários reinos ou mundos de manifestação, com predominância maior ou menor em cada um deles.
Assim, ao reino mineral corresponde o elemento Terra, não se evidenciando o elemento água, nem o ar ou o fogo.
Decorre este facto da circunstância de estar o mineral totalmente integrado na Terra de que faz parte, não se demarcando do meio em que se encontra inserido. Totalmente identificado com esse meio envolvente não tem vida própria, não havendo por isso, sinais de reprodução ou de assimilação de elementos exteriores a si para crescer....
No reino vegetal, o elemento água surge de forma evidente, como gerador de vida própria, sendo, pois através da água que a planta vive, ou seja, cresce e reproduz-se. Este movimento é feito através de uma assimilação individual dos elementos exteriores, retirados da natureza envolvente, bem como da capacidade de se perpetuar, através de outros seres semelhantes, que gera. Isto subentende também a morte, que é o reverso da vida, e que começa a surgir neste mesmo reino vegetal, como sinal da transformação que aqui se revela já presente, o que é apanágio do movimento da vida (entendendo-se nesta perspectiva a morte como sinal dessa transformação). Nesta perspectiva, quanto maior a perenidade do ser, maior a sua capacidade de vida, já que a vida manifesta-se por uma constante transformação.
Simultaneamente, a autonomia do ser começa neste reino também a esboçar-se, através da assimilação própria que a planta faz dos elementos que lhe são exteriores, que capta para subsistir, fazendo uma integração em si, mediante um processo que lhe é inerente. A inserção no meio envolvente já não é feita de forma passiva, processando-se mediante a intervenção de um processo activo de recolha de elementos exteriores ao Ser em questão. Nesta perspectiva, a sensibilidade ao meio começa a ser evidenciada, podendo por esse motivo fazer-se a conexão do elemento água com o mundo das emoções, ou seja da sensibilidade.
Passa-se para um grau de evolução ainda maior na manifestação doreinoanimal, onde o elemento ar se faz presente de forma notória, já que a respiração é o mecanismo vital predominante, havendo a suportá-la um elaborado sistema respiratório que não estava presente no vegetal (aqui a respiração era incipiente). O animal, de facto, pode viver sem alimentos sólidos ou líquidos por algum tempo, mas sem ar fenece em poucos segundos ou minutos.
A separação da natureza, por seu turno, é também nesta situação já alcançada, uma vez que o animal não está mais preso ao solo, e a locomoção é sinal da autonomia que começa a surgir, como esboço do processo de auto-consciência que culminará no ser humano.
A reprodução pressupõe a intervenção de outro ser diferente, em termos energéticos, diferença essa
mais acentuada que no vegetal, sugerindo desta forma a intervenção própria de seres individualizados, ou seja, distintos da natureza no seu conjunto. A maior elaboração dos processos que o animal utiliza para poder sobreviver aponta para o surgimento da actividade mental, a par do mundo das emoções ou da sensibilidade que tinha sido apresentado no reino vegetal. Vistas as coisas nesta perspectiva, poderemos fazer conectar o ar com o plano mental.
O plano espiritual, por seu turno, manifesta-se no ser humano, que tem como elemento predominante o fogo, ao qual se faz corresponder esse mesmo plano.
De facto, o homem, único ser com autoconsciência, faz a união de todas as suas vivências, quer ao nível físico (com predominância do elemento Terra), quer ao nível emocional (aqui evidencia-se o elemento água), quer ao nível mental (fazendo-se a correspondência com o ar), o que só consegue fazer através da sua dimensão espiritual. É o fogo o grande integrador, o aglutinador dessa experiências, que enquanto não activado enquanto o ser ainda não despertou para sua vida interior, dá-lhe o calor e a Luz que possibilita a vida, vida esta insuflada pelo ar, mas activada pelo fogo.
A propósito, observe-se que o plano da forma é feito à custa do elemento Terra e do elemento Água, sendo esta forma animada pelo Ar, que é activado pelo Fogo, a essência do Ser, sendo predominantes elementos da natureza tanto mais subtis, quanto o Ser se eleva na escala evolutiva, aproximando-se por isso cada vez mais da sua essência.
Quando o Homem desperta e começa assumidamente a fazer a alquimia interior, vai utilizar o elemento fogo, essência do Ser, Amor que abrasa e destrói os corpos inferiores, deixando em cinzas a forma e ficando apenas a Luz e o Calor que integram a essência do Ser.
Neste momento atinge a sua realização espiritual, deixando de estar no plano da forma que sublimou e eliminou pelo fogo, transformando-se em pura Luz.
Margarida Branco
Publicado por ferguida às janeiro 26, 2005 06:10 P




VULCÃO

A FÚRIA ADORMECIDA
Nas profundezas da Terra, entre o centro de ferro fundido e a fina camada na superfície, há uma parte de pedra sólida chamada de manto, ainda quente por causa da formação do nosso planeta há cerca de 4.6 bilhões de anos. Como as pedras são grandes isolantes, o calor demora para se dissipar. No subsolo, esta rocha fundida é chamada de magma. Quando o vulcão entra em erupção, o magma é lançado para fora em forma de lava. Quando as pedras do manto se derretem, elas se transformam em magma, que chega à superfície através da crosta externa da terra, e libera os gases contidos. Quando a pressão é muito forte, vulcões entram em erupção. A pressão aumenta se a quantidade de magma que vai do manto da terra até o vulcão é alta. Por outro lado, a pressão pode aumentar dentro do cone de magma do vulcão. Isso acontece porque quando o magma no cone começa a esfriar, ele libera gases que se expandem, aumentando a pressão. Quando a pressão é muito forte, as rochas que formam o vulcão racham, e o magma escapa pela superfície – é a erupção. Em alguns vulcões, a quantidade de magma que sai da terra é relativamente constante, então as erupções são freqüentes; em outros, o magma sobe em bolhas a cada 100 ou até mesmo 1000 anos, por isso as erupções são raras.





Planejamento das Aulas


1° momento


Idade das crianças: 5 anos
Duração das Atividades: 30 minutos

Objetivos específicos:
Conhecer os elementos da natureza.


Linguagens:
Linguagem oral
Linguagem escrita.


Ação Educativa

Questionamentos para saber o que as crianças sabem sobre os quatros elementos:
O que são os quatros elementos?
Onde eles estão?
Como podemos vê-los e senti-los?
Descrevendo suas respostas em um cartaz.
Iremos pedir para as crianças sentar em uma roda e iremos conversar com elas questionando sobre os quatros elementos relacionando com as questões acima, após descreveremos suas respostas em cartaz com ajuda das crianças.
Materiais:
Papel pardo
Canetão


2° momento


Duração das Atividades: 30 minutos

Objetivos específicos:
Identificar através das histórias como surgiram os elementos na natureza


Linguagens:
Linguagem oral
Linguagem artística
Linguagem Natureza e sociedade


Ação Educativa

Partindo do site que pesquisemos:
http://refletindo.weblog.com.pt/arquivo/2005/01/os_quatro_elemetos construiremos uma História adaptada que conta o surgimento dos quatros elementos( água, terra, fogo e ar), utilizando figuras, desenhos e fantoches para contação da história. Organizar um ambiente na sala com tapete e almofadas pedir para as crianças sentarem onde após iremos contar a história adaptada pelas professoras mostrando as figuras e contando a história.


Materiais:
- Texto do site
- Revistas, livros
- Figuras dos elementos
-Tapete e almofadas
-Folhas de oficio
-Canetões, cola e lápis.





3° Momento


Duração das Atividades: 45 minutos

Objetivos específicos

Compreender suas funções individualmente de cada elemento.
Representação dos quatro elementos através de cartazes.

Linguagens:
Linguagem oral
Linguagem artística


Ação Educativa


Representação dos quadros elementos em cartaz:
Ar: Com carvão será riscado em forma do vento e colocado folhas secas representando o ar sobre a terra questionando a pureza do ar, agora e como será mais tarde se não soubermos cuidar.
Água: Será representado através do anil molhado na água pintando e respingando no cartaz, questionando a pureza da água que temos hoje para beber e como ficará se continuar a poluição das águas.


Materiais:


- Papel pardo
- Carvão, folhas secas, lápis giz de cera
- Copa com água, anil

4° momento

Duração das Atividades: 1 hora

Objetivos específicos
Construção do vulcão individualmente, compreendendo como a erupção do vulcão.

Linguagens:
Linguagem oral
Linguagem artística
Linguagem Matemática

Ação Educativa


Explicaremos à importância da terra sua função e juntamente com o elemento fogo iremos propor a construção do vulcão, para saber por que ocorre isso na natureza mostrando como se dá erupção e quais os países que tem vulcão.
- Cada criança ira construir o seu vulcão.
- No final da construção iremos ensinar uma música sobre os elementos da natureza.


MÚSICA
Água, terra, fogo e ar.
A Corinthinha faz o povo delirar.
Não há amor nem sonho.
Fantasias, memoriais.
Será um planeta inabitável,
se um dos quatro faltar.
Não terá história.
Não terá a glória, muito menos pessoal.
Com os quatro elementos da vida.
Hoje eu faço carnaval.
Água, terra, fogo e ar.
A Corinthinha faz o povo delirar.
A água limpa da fonte,
nossa sede vem matar.
A terra pra plantar, colher, comer, nos alimentar.
O fogo pra aquecer no frio.
O ar pra respirar, enchendo os pulmões de alegria,
pondo os pés para sambar..


Matérias:


Matérias para construção do vulcão:
Argila, copo;
Uma colher de fermento
Mistura na xícara
Uma colher de detergente
Uma colher de corante anilina
Uma colher de vinagre
Água
Música



Avaliação:


Será feito em todos os momentos na interação das crianças e os seus conhecimentos sobre os elementos da natureza, observando seu interesse pelo conteúdo e sua criatividade na elaboração dos matérias e como cada criança compreendeu a importância dos elementos da natureza.







REFERÊNCIAS

TEXTO
BRANCO,Margarita.Osquatroelementosdanatureza.2006.<http://refletindo.weblog.com.pt/arquivo/2005/01/os_quatro_eleme.html> Acesso em :<14/04/2008>

MUSICA
http://vagalume.uol.com.br/tadeu-martins/os-quatro-elementos-da-natureza.html Acesso em <>
TEXTO XEROX
EGITO, José Laércio do. A natureza Humana do Elemento Água. 2004. <http://www.joselaerciodoegito.com.br/site_tema_446.htm> Acesso em: <>

2 comentários:

Prof. Carol disse...

Penso que a proposta deste projeto é bem interessante, mas fico preocupada em alguns aspectos:
1) a fundamentação teórica que vocês utilizaram sobre os quatro elementos é um texto religioso, que evoca os quatro elementos relacionados com as questões espirituais. Penso que seria preciso um texto mais científico, falando sobre como a ciência explica o surgimento destes elementos e qual a importância deles na nossa vida, no dia-a-dia. Não que o espiritual não seja importante, mas na escola precisamos tratar de questões científicas. Vocês até podem abordar a relação dos elementos com a espiritualidade, mas não podem ficar somente nisto. Me preocupa pois este texto será utilizado em uma das aulas.

2) Outra questão é sobre a atividade da aula 3. Quando vocês propõe a elaboração do cartaz, vocês definem como ele será produzido, com base em um modelo que vocês já possuem. Seria bem mais criativo, se vocês disponibilizassem vários materiais e propusessem a criação das crianças. Lancem o desafio para as crianças: utilizando estes materiais disponíveis, como vocês podem representar a agua, o ar, a terra e o fogo? Depois, cada criança poderia apresentar como representou cada elemento; acredito que poderiam sair muitas idéias interessantes.

3)Na produção do vulcao é preciso cuidado para não tornar todos os vulcões iguais. As crianças precisam ter liberdade para dar forma ao seu vulcão, tendo como base o que foi estudado nas aulas iniciais sobre os vulcões, como eles se formam, etc.

Acredito que seja interessante um pouco mais de reflexão sobre o que vocês estão propondo, para que o projeto possibilite de fato a criação e participação das crianças.

Leticia disse...

planta é um alemento natural?